Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/07/21 às 8h29 - Atualizado em 27/07/21 às 8h41

Educação Ambiental avança em projetos e inovações

A Unidade de Educação Ambiental (Educ) do Instituto Brasília Ambiental fecha o primeiro semestre com boa parte do previsto no planejamento para 2020, 2021 e 2022 atendidos neste período. Dessas muitas realizações – mesmo durante a pandemia da covid-19 – destaca-se o Acordo de Cooperação Técnica firmado com o Movimento Comunitário do Jardim Botânico (MCJB) para gestão compartilhada do Centro de Práticas Sustentáveis (CPS), e a retomada da Comissão Interestitucional de Educação Ambiental do Distrito Federal (Ciea-DF).

 

Para o chefe da Educ, Marcus Paredes, todas as realizações foram importantes, mas a gestão compartilhada do CPS possibilitou a revitalização do CPS e seu funcionamento pleno. E a retomada da Ciea, na qual autarquia ambiental ocupa a secretaria executiva, que possibilitou a revisão do Plano Distrital de Educação Ambiental (PDEA). “Fizemos seu lançamento com transmissão ao vivo com mais de 250 pessoas assistindo, dando a publicidade necessária ao plano”, comemora.

 

Dentro do programa Eu Amo Cerrado foram realizadas, neste primeiro semestre, manutenção e melhorias no site euamocerrado.com.br, referentes aos parques, agora com possibilidade do usuário cadastrar novas trilhas e marcar a biodiversidade do DF, desde de que faça login na plataforma. Para o segundo semestre a expetativa é implantação do sistema de opinião com estrelinha (até cinco estrelas), dependendo da experiência nos locais visitados e poder compartilhamento de fotos e vídeos.

 

O programa apresenta como resultado também a revitalização da Trilha das Copaíbas, com a colocação de cerca de 60 novas placas de sinalização ao longo do percurso de 4 Km, ação feita com a ajuda da comunidade, e que teve sua entrega para a população em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. “Tivemos ainda o recebimento da compensação ambiental e a conclusão de oito pontos de apoio na Trilha, no valor de mais de R$ 90 mil”, acrescenta Paredes.

 

No programa Parque Educador, que desde o ano passado está ocorrendo de forma virtual, devido à pandemia, 43 escolas e 1.415 alunos foram atendidos, e foram planejadas novas trilhas ecológicas para ajudar nos atendimentos em seis Unidades de Conservação (Ucs).

 

Dentro das publicações eco pedagógicas produzidas pela área, destaca-se a coleção de Eu Amo Cerrado, uma campanha em prol do Bioma Cerrado. A coleção de cartazes em PDF viralizou nas redes sociais especialmente no whatzaap tendo sido compartilhado com grande frequência por vários grupos. Ocorreu ainda distribuição de material impresso para mais de dez instituições parceiras, assim como o publico em geral que valoriza e busca conhecer o bioma.

 

“Com a divulgação da coleção no Webnário Ambiental, tivemos pais procurando esse material para ensinar seus filhos. A equipe separa e deixa na portaria para quem tem interesse em conhecer para preservar”, conta o chefe da Educ.

 

Próximas ações – Para o segundo semestre a área planeja a realização do 2º Encontro de Fotografia de Natureza do Brasília Ambiental, que deve ser lançado em breve com apoio da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), na Semana do Cerrado.

 

No Projeto o  Fogo Apagou, que trabalha a educação ambiental da população vizinha das Unidades de Conservação para evitar ou denunciar incêndios florestais, a Educ deu total apoio ao Programa de Proteção e Combate aos Incêndios Florestais (PPCIF), que é coordenado pela Sema, com a distribuição de mais de 300 cópias do Almanaque do Fogo que é produzido pela equipe.

 

Outro projeto com bons resultados foi na área do no licenciamento ambiental com a implementação do novo fluxo de análise processual, fundamentado na educação ambienta, que resultou em 20 processos analisados. “Isentamos a Licença Prévia (LP) de ações de EA. Agora as ações de Educação Ambiental passam a ser desenvolvidas a partir da Licença de Instalação (LI) do empreendimento. O que aumentou a quantidade de processos liberados. Estamos estudando a possibilidade de converter as ações de EA, exigidas no processo de licenciamento, à apoio às ações já existentes”, adianta o gestor.

 

A área participou, também, da implantação de dois canteiros de plantas medicinais e aromáticas, numa parceria com a Superintendência de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Recursos Hídricos (Sucon).

 

A Agenda Ambiental A3P, que é coordenada pela Educ, produziu diversos vídeos dentro do projeto Continue Acertando. Realizou no último mês do semestre, o curso de capacitação de construção de maquetes topográficas lúdicas, voltado para professores do Programa Parque Educador e agentes de conservação das UCs, nas quais o Programa ocorre. Como também deu apoio as ações dos projetos Caminho das Águas e Caminho do Planalto Central.

 

Um dos focos para o segundo semestre será é a execução e ampliação do Projeto Natal nos Parques, iniciado o ano passado nos parques ecológicos Águas Claras e Olhos D`água (Asa Norte), e que este ano a Educ pretende levar também para os parques Veredinhas (Brazlândia) e Sucupiras (Planaltina). Está no planejamento ainda a exposição de bichos em tamanho natural do Cerrado nas Unidades do projeto.

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543