Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/03/18 às 9h06 - Atualizado em 2/03/18 às 9h18

Projeto de Monitoramento de Médios e Grandes Mamíferos Silvestres

O Ibram deu inicio, em setembro de 2014, ao monitoramento de médios e grandes mamíferos silvestres na Estação Ecológica Águas Emendadas (Esecae), localizada em Planaltina.  O grupo a ser monitorado é bastante heterogêneo, com espécies variando no peso (entre 1 a 250 Kg), nos requerimentos de habitat e no tamanho da área de uso. No entanto, o monitoramento desses indivíduos é fundamental para compreensão das conseqüências do isolamento e perda de habitats.

 

Os objetivos do projeto são: caracterizar a fauna de mamíferos de médio e grande porte; avaliar o uso do habitat dos indivíduos monitorados; subsidiar a elaboração de programas de educação ambiental voltados para a temática, definir estratégias de conservação das espécies a partir das informações coletadas e contribuir na revisão do plano de manejo da unidade de conservação.

esecae

 

Como o projeto surgiu

A idéia do projeto surgiu após relatos da presença de uma onça-pintada (Panthera onca) nos limites da Estação Ecológica de Águas Emendadas (Esecae). Tal fato levou a equipe do Ibram a iniciar o monitoramento. No dia 9 de outubro de 2014 foi realizado o primeiro registro oficial de onça-pintada (Panthera onca) nos limites do Distrito Federal. A presença de um macho adulto de Panthera onca nesta Estação Ecológica é uma oportunidade única de monitorar essa espécie topo de cadeia. Com as informações geradas, será possível planejar ações de conservação não apenas para a espécie, mas para as demais que o projeto pretende englobar.

 

onça

 Onça pintada encontrada na Esecae em outubro de 2014

 

O método de amostragem

O monitoramento é realizado por meio de armadilhas fotográficas e busca ativa por rastros como fezes e pegadas. As armadilhas fotográficas permitem realizar filmagens dos animais e, através das imagens, é possível identificar a espécie e até individualizar o animal.

O uso das armadilhas fotográficas possibilita estimar a densidade populacional e abundância das espécies que possuem algum tipo de atributo individual, como por exemplo, as rosetas da onça-pintada (Panthera onca).

 

Até o momento o a equipe alocou 5 armadilhas fotográficas em campo e nos próximos meses essa rede de monitoramento deve aumentar.

 

A fauna do local

Confira abaixo vídeos de animais encontrados.

 

Este projeto é uma parceria da Gerência de Controle sobre o uso da Fauna (Gecof), da Gerência de Monitoramento da Qualidade Ambiental (Gemon), da Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral (Geuni) e dos agentes de unidade de conservação da Esecae.

Instituto Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

IBRAM

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543