Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/19 às 9h32 - Atualizado em 11/04/19 às 11h50

Ibram na Mídia – Fuja do estresse: saiba onde praticar meditação no Distrito Federal

(Matéria publicada no Correio Braziliense, em 7 de abril de 2019)

 

Com a vida estressante que uma cidade grande pode trazer, nem sempre é possível separar um tempo para realizar exercícios que auxiliam o controle da respiração e o equilíbrio mental. Mais ainda, o culto ao corpo perfeito também é uma realidade, e muitas pessoas acabam por deixar de lado o cuidado com a mente. Pensando nisso, alguns grupos de meditação estão indo ao encontro de pessoas que costumam se exercitar em parques e ambientes verdes do Distrito Federal para mostrarem a importância de uma vida equilibrada e auxiliar no combate ao estresse com práticas de meditação gratuitas.
É o caso da funcionária pública e instrutora de meditação Luciana Tolentino, voluntária da organização Arte de Viver, que oferece aulas gratuitas da prática aos domingos no Parque Olhos D’Água, na Asa Norte, e no Parque de Águas Claras. O grupo ainda realiza a meditação da Lua Cheia, realizada todo mês na época lunar, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) (veja programação).
A instrutora explica que esses encontros são destinados a todos os públicos. “O nosso objetivo é estar em lugares em que as pessoas já estão buscando ter mais qualidade de vida, e chamar a atenção dessas pessoas para que, da mesma forma que cuidam do corpo, prestem mais atenção aos cuidados da mente”, explica Luciana.
As meditações são guiadas, e Luciana afirma qualquer pessoa pode participar, mesmo os que estão acostumados e os que nunca fizeram nada parecido. “Todos nós temos capacidade de aprender a meditar e a respirar melhor. A gente ensina a como usar a respiração para aguçar e controlar os sentimentos e as emoções, além de outras técnicas que podem trazer bem-estar”, convida a instrutora.
Com os encontros semanais, Luciana Tolentino conta que sempre há pessoas que saem da meditação e procuram saber mais sobre a prática. “Eles querem estar mais ali para ter uma qualidade de vida melhor”, afirma. Mas a instrutora avisa que não adianta ir só uma vez. “Isso não vai trazer benefício real na vida cotidiana, o ideal é fazer todo dia, separar um tempo de 20 minutos para a prática, com o objetivo de ter um efeito real de médio a longo prazo” completa.
Ângela Cavalcante, aposentada e instrutora de ioga desde 1989 pela Sociedade Sahaja Yoga do Brasil, afirma que a meditação pode ser praticada em qualquer lugar, mas que a presença da natureza potencializa a sensação de bem-estar. “Eu vejo que, como a meditação lida com o mais natural do ser humano, que é a respiração, estar em contato com a mãe terra, você tem uma sintonia enorme com o seu interior e pode se beneficiar mais e ter mais inspirações a continuar com a prática”, explica. A Sahaja Yoga também realiza meditações guiadas e gratuitas em parques do DF, como em Águas Claras; dos Jequitibás, em Sobradinho; e Olhos D’Água, na Asa Norte.
Xô, estresse!
Há um ano e meio praticando meditação, a funcionária pública Márcia Ribeiro afirma que o maior benefício que a prática trouxe foi a percepção do corpo, a melhora na capacidade de concentração e, sobretudo, a disciplina. “O fato de parar naquele momento e de prestar atenção na respiração para mim predispôs a tudo isso. Mas é claro que não é uma coisa que se esgota: que você aprende aquilo e conquista e acabou, não. É um desafio permanente. Dependendo do seu momento de vida e estado de espírito, às vezes fica muito desafiador. Mas, com a melhora dessa percepção e dessa sensibilidade no geral, parece que quando você não medita, aquilo te faz falta”, relata.
Ainda que nova na prática, Márcia afirma que, para quem quiser começar a meditar, é necessário ter uma dose generosa de paciência consigo mesmo, e que qualquer gesto e predisposição de parar o tempo do dia e meditar é uma coisa valiosa. “Considero muito importante também a prática de meditação em grupo, porque ali você tem oportunidade de trocar experiências, de buscar melhorar suas dificuldades e falar de você. Sem contar com a energia do grupo todo meditando, é muito poderoso e colabora muito para a prática”, complementa.
Luciana Tolentino afirma que a prática a auxiliou no combate à ansiedade e nas relações interpessoais. “Na minha vida, a meditação diminuiu muito essa coisa de pensar muito no futuro ou no passado, eu consigo estar mais presente. Eu não sinto mais essa aceleração, hoje eu tenho mais clareza. Além disso, tenho mais paciência com as pessoas e consigo me comunicar com os outros de uma forma não violenta”, afirma a instrutora. “Minha saúde também melhorou, hoje sou mais saudável e consciente em relação ao meu corpo”, complementa.
O bancário Fábio Furrier conta que hoje é uma pessoa mais consciente do que está fazendo e consegue gerenciar o estresse graças à meditação. “A qualidade no convívio nas minhas relações com as pessoas também me ajudou pelo fato de estar mais atento ao que estou fazendo”, afirma. “E as pessoas precisam saber que, para ter algum fruto, como tudo na vida, tem de ter uma certa dose de esforço. Não é meditando de vez em quando que você vai ter uma visão mais clara da sua mente, é tendo um contato frequente com a meditação que vai sentir a diferença”, aconselha.
Tai chi chuan
Além de práticas para acalmar apenas a mente, a prática milenar chinesa é uma combinação de meditação com o ataque e a defesa. O tai chi é uma meditação em movimento, em que se trabalha corpo, mente e espírito. Para quem procura esse tipo de exercício, o mestre Moo Shong Woo ministra aulas gratuitas da prática na entrequadra da104/105 Norte, na Quadra de Esporte, de segunda a sábado, das 7h30 às 8h30, e aos domingos, às 8h. A única indicação é ir com roupas e sapato confortáveis.
De acordo com Moo, de maneira geral, todos os exercícios devem ser executados ao ar livre, pois nosso organismo, durante o exercício, precisa de mais oxigênio. No caso específico do tai chi chuan, a questão do ambiente é essencial. “É uma prática ligada à medicina tradicional chinesa, que considera o nosso organismo como um microcosmo, em contínuo e íntimo relacionamento com o macrouniverso. Quanto menos obstáculos existirem entre o nosso organismo e a natureza, melhor. Ao ar livre, o ar é mais puro, podemos contemplar o céu e o horizonte, podemos sentir o calor do sol e a brisa suave”, explica o mestre.
Como uma prática integrativa da medicina chinesa, Moo Shong Woo afirma que os benefícios do tai chi chuan são mutidimensionais. No aspecto físico, ele explica que melhora a consciência corporal, o equilíbrio, a capacidade respiratória e cardiovascular e a mobilidade das articulações. No aspecto mental, produz calma e equilíbrio emocional, melhorando o sono, a concentração e a memória. “E melhora ainda no aspecto social, pois a pessoa torna-se mais flexível e tolerante, desenvolve novos laços de amizade com outros praticantes”, conclui Woo.
Programe-se
Onde meditar?
 
Meditação da Lua Cheia
» 18 de abril, às 20h. Centro Cultural Banco do Brasil. Mais informações pelo telefone: 99964-0878. Gratuito. Classificação indicativa livre.
Meditação Arte de Viver
» Hoje, às 9h30. Parque de Águas Claras.
» 14 de abril, às 9h30, no parque Olhos D’Água (Asa Norte)
» Mais informações pelo telefone: 99964-0878.
» Gratuito. Classificação indicativa livre.
 
Meditação Sahaja Yoga
» A programação do mês de abril para os parques Águas Claras, Jequitibás (Sobradinho) e Olhos D’Água (Asa Norte) ainda não está definida, mas pode ser acompanhada no endereço (sahajayoga.org.br/) ou pelos telefones 3349-2059, 98409-0364, 99972-2952 e 98147-0488. Gratuito. Classificação indicativa livre.
Aulas de tai chi chuan
Tai chi com Mestre Woo
» Entrequadra da SQN 104/105 Norte, na Quadra de Esporte.
» Segundas-feiras aos sábados, das 7h30 às 8h30. Aos domingos, às 8h.
» Gratuito. Classificação indicativa livre
Práticas comunitárias de Tai Chi com o mestre Woo
» 21 de abril, às 9h, no Eixão Norte, na altura da SQN 108.
» Gratuito. Classificação indicativa livre.

Brasília Ambiental - Governo de Brasília

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543