Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/11/18 às 8h38 - Atualizado em 28/11/18 às 8h41

Espécies Exóticas Invasoras do DF

O PROBLEMA DAS ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS

 

A presença de espécies exóticas invasoras (EEI) é considerada a segunda maior causa de extinção de espécies no mundo, afetando diretamente a biodiversidade, a economia e a saúde humana[1]. São consideradas invasoras, as espécies exóticas que tiveram o transporte facilitado pelo homem, intencionalmente ou não, para fora de sua distribuição original, capazes de se estabelecer e dispersar para longe de onde foram introduzidas, e que possam causar impacto em ecossistemas naturais.

 

A CONSTRUÇÃO DA LISTA DE ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS DO DISTRITO FEDERAL

 

Ciente da responsabilidade do poder público do Distrito Federal-DF em contribuir para o desenvolvimento da política e gestão de espécies exóticas invasoras, o Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal/Ibram – por meio da Diretoria de Flora e Recuperação Ambiental – DIFLO e da Diretoria de Fauna – DIFAU – em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade/ICMBio, uniram esforços para elaboração da lista distrital de espécies exóticas invasoras.

 

Para a construção de uma lista oficial, uma lista preliminar foi elaborada considerado as informações constantes no Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental – APA – do Planalto Central[2], além da base de dados do Instituto Hórus e do The Invasive Species Specialist Group – ISSG. Para a primeira fase foram avaliadas, também, as seguintes características das espécies: 1) crescimento populacional; 2) dispersão, e; 3) capacidade de excluir competitivamente espécies nativas ou alterar ecossistemas.

 

Após a elaboração da lista preliminar de espécies exóticas invasoras, foi realizado o I Workshop de Espécies Exóticas Invasoras do Distrito Federal, no dia 05 de julho de 2018. O evento teve como objetivos consolidar a Lista de Espécies Exóticas Invasoras da Fauna e Flora do Distrito Federal, e indicar espécies da fauna e da flora como espécie prioritária para elaboração dos Planos Distritais de Prevenção, Erradicação, Controle e Monitoramento. O evento contou com a participação de 74 profissionais que se dividiram em três salas temáticas, duas de fauna (vertebrados e invertebrados) e uma de flora. As espécies presentes na lista preliminar foram avaliadas uma a uma, considerado durante as discussões os argumentos quanto a sua permanência ou retirada da lista final (por meio de relatos de campo, experiências pessoais e artigos científicos).

 

Relatório do I Workshop de Espécies Exóticas Invasoras do Distrito Federal – Parte I

Relatório do I Workshop de Espécies Exóticas Invasoras do Distrito Federal – Parte II

 

 

A LISTA DE ESPÉCIES EXÓTICAS INVASORAS DO DF

 

Foi publicada, no Diário Oficial do DF, no dia 29 de outubro de 2018, a Instrução Normativa nº 409/2018 – Ibram/Presi, com a consolidação da Lista de Espécies Exóticas Invasoras da Fauna e Flora do Distrito Federa. Além da lista, o trabalho realizado também indicou as espécies exóticas com potencial de invasão para o DF.

 

Confira aqui a lista de espécies de fauna com potencial de invasão.

 

 

Confira aqui a lista de espécies de flora com potencial de invasão.

 

 

Durante o I Workshop de Espécies Exóticas Invasoras do Distrito Federal, cinco espécies prioritárias para elaboração dos Planos Distritais de Prevenção, Erradicação, Controle e Monitoramento foram eleitas:

Espécies da fauna: cães (Canis familiaris), Gatos (Felis catus) e o Caracol gigante africano (Achatina fulica).

Espécies da flora: cana-do-reino (Aundo donax) e Leucena (Leucaena leucocephala).

 

PRÓXIMO PASSO

 

A partir da publicação da IN 409/2018 – IBRAM/PRESI. O Ibram pretende elaborar os Planos de Prevenção, Erradicação, Controle e Monitoramento para as espécies selecionadas no I Workshop de Espécies Exóticas Invasoras do Distrito Federal.

 

[1] Espécies exóticas invasoras: situação brasileira/Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas.– Brasília: MMA, 2006. 24 p.

[2] Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental do Planalto Central – Brasília: MMA, ICMBio, APA do Planalto Central, 2012.

Instituto Brasília Ambiental - Governo de Brasília

IBRAM

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543